A parlamentar estava radicada no Mato Grosso e tinha forte atuação na luta em favor das pessoas monoculares - Foto: Divulgação
publicidade

Natural de Mogi Mirim, porém radicada no estado do Mato Grosso, a deputada federal Amália Scudeler de Barros Santos (PL-MT) faleceu na madrugada deste domingo (12), em São Paulo, aos 39 anos.

A parlamentar estava internada desde o dia 1 de maio por conta de um nódulo no pâncreas e desde então seguia em estado grave, internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Vila Nova Star.

Acompanhe o Guaçu Agora nas redes sociais: curta a página no Facebook e siga o perfil no Instagram

Durante a internação, ela chegou a ser submetida a uma nova cirurgia e seria submetida a novo procedimento para tratar de complicações no fígado.

Amália Barros era formada em jornalismo e conhecida por ser monocular desde os 20 anos, após uma infecção por toxoplasmose. Foi a autora da proposta que se transformou em lei o reconhecimento da condição como deficiência sensorial, do tipo visual.

Em 2022, Amália foi eleita deputada federal com cerca de 70 mil votos, no Mato Grosso.

Além das funções parlamentares, ela também se dividia na função de diretora do Instituto Amália Barros, posteriormente renomeado como Instituto Nacional da Pessoa com Visão Monocular, responsável por campanhas de doação de prótese ocular e presta assistência a monoculares.

Amiga pessoal da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, ela também ocupava atualmente o comando do PL Mulher.