A família do homenageado prestigiou o evento desta terça-feira (30) - Fotos: GuaçuAgora
publicidade

Depois de quase três anos desde o início das obras, a nova ponte da Avenida Brasil sobre o Rio Mogi Guaçu foi inaugurada na noite desta terça-feira (30).

O ato que reuniu autoridades locais, políticos da região e o público em geral foi marcada pelas homenagens realizadas ao empresário Cláudio Luiz Manzoli, que teve seus familiares marcando presença.

Acompanhe o Guaçu Agora nas redes sociais: curta a página no Facebook e siga o perfil no Instagram

O fundador da Construtora Riwenda que agora dá nome à estrutura teve sua contribuição para o município destacada diversas vezes ao longo do evento.

Genro do homenageado, o deputado estadual Bruno Zambelli (PL) discursou em nome da família e agradeceu a todos pelo reconhecimento ao sogro.

Quem também destacou a figura e a trajetória de Manzoli foi o deputado estadual Barros Munhoz (PSDB), que lembrou do convívio de anos com o empresário. “Eu tive a felicidade com o Cláudio Luiz Manzoli, que veio para Mogi Guaçu, onde só fez o bem. Serviu de exemplo pra mim. Tem muita gente as quais eu procuro me afastar, mas tem muita gente as quais, graças a Deus, eu procuro me achegar e o Cláudio Luiz Manzoli foi uma delas. Foi um homem integro, impoluto, correto e que fez uma obra maravilhosa aqui nessa cidade”, recordou.

Para o prefeito Rodrigo Falsetti (PSD), a homenagem por parte do Município é um reconhecimento a contribuição do empresário com a cidade que adotou e onde consolidou sua atuação profissional.

Ele ainda destacou a importância da construção para a história guaçuana. “Hoje estamos entregando a quarta ponte (sobre o Rio Mogi Guaçu) em 147 anos e fico contente que os nomes nossos estejam nestas placas. Vereadores e equipe, todos os envolvidos”, reforçou.

A ponte que atenderá o fluxo de veículos que se deslocam no sentido Jardim Nossa Senhora das Graças para a Avenida Padre Jaime teve sua construção iniciada em junho de 2021 e necessitou de duas etapas para ser concluída: a execução da estrutura de concreto armado e posteriormente a instalação de suas cabeceiras, não previstas no projeto inicial.

A obra teve recursos obtidos junto à Caixa Econômica Federal, por meio de financiamento, num orçamento total de aproximadamente R$ 20 milhões. Foram investidos perto de R$ 14,5 mi na construção da ponte e outros cerca de R$ 5,5 mi nas cabeceiras de ambas as extremidades da estrutura.

Conforme destacou o secretário municipal de Obras e Mobilidade, Daniel Rossi, os maiores entraves no projeto foram as questões burocráticas. “A construção em si transcorreu de forma muito tranquila e conforme o cronograma planejado, com exceção dos ajustes em razão das chuvas. As maiores dificuldades foram mesmo legais em razão dos ajustes de documentação e envio da papelada para a Caixa (Econômica)”, ponderou.